segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Organizações exigem celeridade nas investigações sobre ataque a indígenas no Vale do Javari



Organizações indígenas e indigenistas no Brasil publicam notas sobre os ataques e exigem ações rápidas por parte das autoridades nacionais para que as denúncias sobre supostos massacres contra indígenas, que vivem em isolamento voluntário na Amazônia, sejam investigados com a máxima urgência. A ONU também divulgou nota cobrando proteção para as comunidades indígenas.

Em agosto, o líder indígena Adelson Kora Kanamari denunciou que indígenas conhecidos como "flecheiros", teriam sido atacados e assassinados, no município de São Paulo de Olivença, no Vale do Javari, na região da tríplice fronteira - Brasil, Peru e Colômbia.

Segundo o site Amazônia Real, o MPF teria confirmado o massacre, mas depois emitiu nota informando que o caso ainda estaria sendo tratado como suspeita. Veja mais: MPF recua e diz em nota que não há confirmação de mortes de índios isolados por garimpeiros na Amazônia 

O Ministério Público também investiga uma segunda denúncia, sobre o assassinato de indígenas isolados, do povo Warikama Djapar. O portal De Olho nos Ruralistas revelou essa história em julho; "povo Kanamari denunciou massacre que teria ocorrido em fevereiro, na TI Vale do Javari, no Amazonas". Veja matéria: MPF pede nova investigação de chacina de índios isoladosna Terra Indígena Vale do Javari

No início do mês de setembro, o Observatório Socioambiental fez um levantamento de matérias publicadas sobre a denúncia do massacre e, neste artigo, relaciona algumas notas e cartas publicadas por organizações indígenas e indigenistas, além da nota da ONU.

Veja os trechos introdutórios das notas com os links para as publicações originais ou reproduzidas:


Nota Pública da Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (FOIRN) sobre denúncia de massacre de índios isolados no Vale do Javari (AM)

A Foirn (Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro), entidade que representa 10% da população indígena nacional, com 30 anos de atuação em defesa dos direitos dos povos originários, vem por meio desta nota pública manifestar sua indignação em relação ao descaso das autoridades nacionais e do governo brasileiro sobre a denúncia de massacre sofrido pelos índios isolados na Terra Indígena Vale do Javari, no extremo oeste do Amazonas.


Nota de repúdio contra o massacre do Vale do Javari - APIB

A Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) diante das denúncias veiculadas pela União os Povos Indígenas do Vale do Javari (UNIVAJA) e pela Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (COIAB) a respeito do massacre de mais de 20 Índios isolados que teria acontecido no final do mês de julho e início do mês de agosto no interior da terra indígena Javari, no oeste do Estado do Amazonas, na fronteira com o Peru, manifesta publicamente a sua indignação e repúdio a este crime recorrente – que vitimou nos anos 80 ao povo ticuna e ao povo yanomami no início da década dos 90.
Nota de apoio do Conselho Indígena de Roraima (CIR) aos povos indígenas do Vale do Javari

O Conselho Indígena de Roraima (CIR), organização indígena criada para defender os direitos e interesses dos povos indígenas de Roraima vem manifestar apoio aos povos indígenas do Vale do Javari que passam pelo piores momentos da sua história com os massacres de grupos indígenas isolados, entre eles, os identificados como “flecheiros”, ocorrido no mês de agosto no rio Jandiatuba, afluentes do rio Solimões, no município de São Paulo de Olivença, na fronteira com Peru e Colômbia, conforme noticiado nos últimos dias e confirmado pelo Ministério Público Federal do Amazonas (MPF/AM), na última sexta-feira, 8 de agosto, segundo a Agência de Notícia Amazônia Real. Tais massacres também foram denunciados na XI Assembleia Geral da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (COIAB), ocorrido no período de 28 a 30 de agosto, na Aldeia Sede, Terra Indígena Alto Rio Guamá, estado do Pará. 
Leia na íntegra... 


COIAB - Nota de repúdio e exigência de investigação no caso do massacre dos povos isolados no Vale Do Javari


A Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (COIAB), instância máxima de representação e defesa dos direitos dos povos indígenas da Amazônia Brasileira, juntamente com sua rede de organizações e povos indígenas, vem por meio desta manifestar o seu incondicional *APOIO*, assim como compartilha e ratifica todas as notas de repúdios e manifestações dos povos indígenas do Brasil contra o massacre sofrido pelos índios isolados no interior da Terra Indígena Vale do Javari, localizada na região da tríplice fronteira Brasil, Peru e Colômbia. 
Leia na íntegra...


Nota do Cimi: o inaceitável massacre de indígenas isolados no Vale do Javari

O Conselho Indigenista Missionário vem a público manifestar profunda preocupação diante das informações acerca de possível massacre de indígenas em isolamento voluntário ocorrido no rio Jandiatuba, interior da Terra Indígena Vale do Javari, no extremo oeste do estado do Amazonas. O Ministério Público Federal (MPF) confirmou que “investiga a denúncia de mortes de índios isolados na região do Vale do Javari” apresentada pela Fundação Nacional do Índio (Funai) e que “há diligências em curso”. O massacre teria sido cometido no mês de agosto de 2017, por garimpeiros que vinham explorando ilegalmente a região. Suspeita-se que a chacina teria sido cometida contra o grupo conhecido como “flecheiros” de cuja existência se tem notícias desde a década de 1970.
Leia mais...


Nota da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) e o Escritório Regional para América do Sul do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH)

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) e o Escritório Regional para América do Sul do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) expressam sua preocupação com a informação recebida sobre um possível massacre de indígenas em isolamento voluntário conhecidos como “flecheiros”, perto do alto curso do rio Jandiatuba, no território indígena Vale do Javari, localizado no extremo oeste do estado do Amazonas. A informação amplamente difundida em meios de comunicação indicaria que cerca de 10 pessoas indígenas em isolamento, incluindo mulheres e crianças, foram assassinadas. O Ministério Público Federal (MPF) confirmou publicamente que está investigando denúncias sobre mortes de indígenas em isolamento no território indígena Vale do Javari”. 
Leia na íntegra... 


Foto reprodução / Arquivo Funai


Veja também: 

"Sertanista, que foi presidente da Funai, critica morosidade na busca de provas junto aos três garimpeiros acusados de suposto envolvimento no caso". 


Levantamento realizado por
Janete Melo - Observatório Socioambiental


Campanha Vamos Apoiar a Apoinme

Arquivo do site

Em destaque