segunda-feira, 30 de setembro de 2013

#DireitosIndígenas - À sociedade brasileira e aos habitantes do planeta.


Há 25 anos, nós, povos indígenas do Brasil, ajudamos a mudar a história deste país, escrevendo parte da Constituição Federal, que completa 25 anos esta semana. Nela estão os artigos 231 e 232, que garantem os nossos direitos, mas também muitos outros artigos que asseguram direitos à cultura, ao meio ambiente e outras importantes conquistas da sociedade brasileira. Vinte e cinco anos é o tempo de uma geração e nós, povos indígenas, estamos aqui há milênios.

Ao completar 25 anos, a nossa Constituição e os nossos direitos fundamentais à terra estão sofrendo um forte ataque por parte daqueles que sempre ambicionaram nossas terras e riquezas. Mas a nossa vida não se negocia e no nosso sangue corre o orgulho dos nossos antepassados. Por eles e pelas gerações futuras, vamos lutar pelos direitos que conquistamos.

Nossa luta não é uma luta de poucos, nem apenas nossa: é uma luta pelo Brasil, por um país justo, plural e rico em sua diversidade, que nós cultivamos. Mais do que isso: queremos uma sociedade em harmonia com a natureza e que permita aos nossos filhos e netos terem contato com rios limpos, matas que abriguem nossos animais, e cidades menos poluídas e agradáveis para se viver. Quem não sonha com isso, afinal? Tudo isso passa pela manutenção de nossos direitos; pela conservação de nossos territórios e pela valorização de nossas culturas.

Nossa história é contada de geração em geração e deve ser conhecida por todos os brasileiros, diferentemente dos livros da história oficial ensinada a vocês. A valorização da memória, do que ouvimos dos mais velhos, do que aprendemos com eles, é fundamento das nossas identidades, que dialoga com os novos saberes que estamos constantemente adquirindo para construir o que somos hoje.

Somos mais de 235 povos diferentes, mas estamos unidos na mesma luta. Nesta semana em que estamos voltando à Esplanada dos Ministérios, queremos dar o recado de que vamos reafirmar as nossas conquistas históricas, culturas, terras e modos tradicionais de vida. Queremos falar nossas línguas, nos apropriar e contribuir para o desenvolvimento das mais diversas tecnologias, e construir um país realmente para todos.

Temos orgulho da nossa história, das lutas de hoje e do compromisso que temos com cada uma das nossas comunidades. É isso o que nos leva adiante. É o que nos faz resistir a todo tipo de ataque, ou estratégia para nos reduzir, ou confinar. É, ainda, a força que move povos inteiros a resistir nas mais duras condições.

Estamos nas ruas, pacificamente, para mostrar que há no Brasil espaço para todos. Resistiremos sempre. Nossos modos de vida tradicionais sobrevivem da terra, em função da terra e é pelo direito fundamental a ela que estamos aqui - e que nenhum governo vai nos tirar, pois, além disso, as terras indígenas são patrimônio e bem da União e as áreas protegidas têm um papel fundamental no equilíbrio do clima do país e do planeta. Queremos contar com o seu apoio e a sua solidariedade, pois, como dissemos, essa luta não é só nossa: é de todos os que defendem a Constituição, a justiça e os direitos nelas assegurados.

Vem pra Esplanada você também!

ARTICULAÇÃO DOS POVOS INDÍGENAS DO BRASIL: APOINME – ARPIN SUDESTE – ARPIN SUL – ARPIPAN – ATY GUASU – COIAB



Compartilhado por Henyo Barreto

Campanha Vamos Apoiar a Apoinme

Arquivo do site

Em destaque