segunda-feira, 18 de junho de 2012

Litoral Oeste do Ceará


O litoral cearense se estende por 573 km, onde predominam praias, dunas, falésias, restingas e manguezais. O litoral do Estado do Ceará é atravessado por duas rodovias, a Costa do Sol Nascente e a Costa do Sol Poente, que, a partir de Fortaleza, direcionam-se para o litoral leste e oeste, respectivamente. O Litoral Oeste do Ceará ou Costa do Sol Poente, como também é conhecido, é a faixa que se estende do município de Fortaleza até a divisa com o Estado do Piauí.

As praias mais conhecidas e visitadas do Litoral Oeste são: Jericoacoara, Baleia, Flecheiras, Lagoinha e Cumbuco. Muito ricas em paisagens, também se destacam: Marinheiros, Pracianos, Moitas, Patos (em Amontada); Almofala, Torrões, Porto do Barco (em Itarema); Arpoeiras (em Acaraú); Preá (em Cruz) Camocim, Tatajuba, Guriú, Imburama (em Camocim), Bitupitá (em Barroquinha); Formosa (em Jijoca de Jericoacoara) Coqueiros, Iparana, Pacheco, Icaraí, Tabuba (em Caucaia); Taíba e Pecém (em São Gonçalo do Amarante), Mundaú e Guagirú (em Trairí).


A vegetação predominante é a litorânea típica e em algumas áreas não há presença de vegetação sendo recobertas por dunas.  As temperaturas médias podem variar entre 22º C a 32º C. A geografia da planície litorânea, ao longo da costa cearense, se apresenta bastante diversificada, com ocorrências de paredões, praias com coqueirais e áreas alagadas de manguezais que abrigam rica biodiversidade.

É no Litoral Oeste que se localizam algumas das principais Unidades de Conservação do Estado do Ceará. Entre elas destacam-se as ÀREAS DE PROTEÇÃO AMBIENTAL (APA’s):

  • APA das Dunas de Paracuru - é uma unidade de conservação de uso sustentável, criada por meio do DECRETO Nº 25.418, de 29 de março de 1999, com uma área total de 3.909,60 hectares. Localiza-se no Município de Paracuru, Estado do Ceará, a aproximadamente, 86 Km de Fortaleza
  • APA de Jericoacoara - localiza-se a noroeste do estado do Ceará, no Município de Jijoca de Jericoacoara, compreendendo uma área de 5.480 hectares. Esta unidade é protegida pelo Decreto nº. 90.379 de 1984. Apresenta uma paisagem de grande valor cênico, ecológico e econômico, constituindo-se num conjunto raro e particular.
  • APA das Dunas da Lagoinha – compreende uma área de 523,49 hectares, tendo sido criada pelo Decreto Estadual nº 25.417 de 29 de março de 1999. Localiza-se a oeste da localidade de Lagoinha, no município de Paraipaba-CE, a cerca de 115 Km de Fortaleza. Um penhasco de 50 metros de altura serve de mirante natural para contemplar a bela paisagem. O ecossistema predominante são as dunas.


O avanço do mar vem provocando muita destruição no litoral do Ceará. Tanto nas faixas de praia do Litoral Leste quanto do Oeste, já é possível constatar o intenso processo erosivo, com dunas devastadas, casas e comércios destruídos pela ação violenta das ondas e aterramento de áreas de manguezais, entre outros fatores negativos.

Na Praia de Mundaú, município de Trairi, distante 124 quilômetros de Fortaleza o avanço do mar vem destruindo total ou parcialmente várias pousadas, casas e algumas das luxuosas mansões de veraneio. A luta agora é pela preservação do que sobrou, mas o mar não dar trégua e avança de modo constante.

A especulação imobiliária é outro grande problema que altera significativamente a dinâmica do litoral. A construção desenfreada de hotéis, pousadas e grandes resorts, nestas áreas já extremamente fragilizadas, podem gerar conseqüências gravíssimas a médio e longo prazo. É necessário fiscalização e controle dos órgãos competentes na liberação de novas licenças para estas construções nas faixas de praia do litoral cearense.


De acordo com o Departamento de Geografia da Universidade Federal do Ceará (UFC), o mar já avançou entre 150 e 300 metros desde o ano de 1990. As praias do Pacheco, Icaraí e Cumbuco, em Caucaia (Região Metropolitana de Fortaleza) perderam aproximadamente um terço da faixa de areia.

Além das causas, como mudança dos ventos e alterações geológicas, as intervenções feitas pelo homem também têm forte relação com as mudanças na linha de costa cearense. A construção do Porto do Mucuripe, por exemplo, que barrou a passagem de sedimentos em direção ao litoral oeste de Fortaleza, é uma das causas para o avanço do mar nas praias do Pacheco, Icaraí e Iparana.

A dinâmica das regiões costeiras envolve ainda a retirada e/ou deposição de sedimentos que pode estar relacionada a causas como baixa ou alta disponibilidade de sedimentos fornecidos pelos rios localizados próximos ao litoral, além da ação dos ventos (muito fortes no litoral do Ceará), que também são importantes para a variação de sedimentos na costa cearense.


É importante que se observe também que o mar e as faixas de praias possuem movimento contínuo. Desta forma os planejadores urbanos deveriam ter um papel importante nos estudos e liberações de uso e ocupação destas áreas, mantendo uma faixa de segurança para evitar danos materiais e socioambientais. De acordo com pesquisas do Labomar (Laboratório de Ciências do Mar), esta faixa deveria ser de no mínimo 100 metros.

Metodologia: Pesquisa de campo das disciplinas:
Elementos da Gestão Ambiental e Planejamento Urbano e Ambiental
Pós-Graduação em Planejamento e Gestão Ambiental - UECE

Campanha Vamos Apoiar a Apoinme

Arquivo do site

Em destaque