segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Biomas Brasileiros - Amazônia



O bioma Amazônia abrange uma área aproximada de 4.196.943 km², correspondente a 49% do território brasileiro, constituída principalmente por uma floresta tropical.  Este bioma é formado por diferentes ecossistemas como campos alagados, florestas densas de terra firme, florestas estacionais, várzeas, florestas de igapó, savanas, formações pioneiras e refúgios montanhosos.

A Amazônia compreende os estados do Amazonas, Amapá, Acre, Pará, Roraima, Rondônia, Mato Grosso, parte do Tocantins e Maranhão, constituindo a Amazônia Legal brasileira. A floresta Amazônica possui 60% de suas terras em área do Brasil e os demais 40% estão localizados em outros países da América do Sul: Equador, Colômbia, Peru, Suriname, Venezuela, Guiana, Bolívia e Guiana Francesa.

O bioma que atinge uma área de 4,2 milhões de km², geralmente é confundido com a Amazônia Legal, representada por uma região administrativa de 5, 2 milhões de km², tendo sido definida em legislação nos anos de 1953 e 1966.  Além do bioma Amazônia essa região administrativa também inclui o Cerrado e Pantanal.


A Planície Amazônica que predomina em grande parte do bioma Amazônia é uma vasta área de terras baixas e planas que corresponde à Bacia Sedimentar, onde se distinguem alongadas faixas de sedimentos paleozóicos que afloram na sua porção centro-oriental, além de outras formações rochosas como arenitos, argilitos e areias terciárias e quaternárias. As altitudes raramente superam os 200 metros.

No bioma se localiza o Rio Amazonas, chamado de “rio mar”, considerando o volume de suas águas é o maior do mundo. Pesquisas revelam ser o Amazonas o maior rio do mundo também em extensão, com 6.868 km, superando o rio Nilo. É a maior bacia de drenagem do planeta, entrando no Brasil com o nome de rio Solimões e após a junção com o rio Negro em Manaus recebendo o nome de Amazonas e assim permanecendo até sua foz no Oceano Atlântico.

São 25 mil quilômetros de águas negras ou barrentas navegáveis. Às margens do Amazonas, na porção do território brasileiro, vivem mais de 20 milhões de pessoas. São ribeirinhos, extrativistas, quilombolas e 220 mil indígenas de 180 etnias distintas habitando este território fascinante. Em toda bacia amazônica são 33 milhões de pessoas e os povos indígenas somam 1,6 milhão de 370 etnias.



As árvores amazônicas podem variar entre 40 e 300 espécies diferentes por hectare. A floresta é densa e fechada, dificultando a sua penetração e ocupação. Vegetação característica: perenifólia (folhas verdes nas copas durante todo o ano); higrófita (adaptada a grande umidade) e latifoliada (folhas grandes e largas).

A floresta Amazônica pode ser dividida em três grandes grupos:

  • Florestas de Várzea: possui árvores de grande porte (40 metros de altura no máximo). Estão associadas aos rios de águas escuras.
  • Florestas de Terra Firme: apresentam árvores de porte superior (30 e 60 metros em   média). O dossel é fechado e contínuo. Presente nas terras altas da Amazônia.
  • Florestas de Igapó: suas árvores de porte alto (40 metros de altura, no máximo) raramente perdem folhas que são muito largas para captar bem a luz do sol. A vitória-régia é uma vegetação aquática encontrada em rios de águas claras. Ocorrem em solos alagados durante seis meses por ano.

Neste bioma  a biodiversidade rica e espetacular comporta metade de todas as espécies do planeta. São mais de 3 mil espécies de peixes, 300 de mamíferos, 1.300 pássaros e milhões de insetos que têm seu habitat  num dos mais belos cenários da Terra. 



O bioma Amazônia está localizado numa área onde, há milhões de anos existia um mar, desta forma apresenta solos arenosos e geologicamente pouco férteis. Os galhos das árvores, frutos, folhas que caem, além de animais mortos, formam uma camada superficial de matéria orgânica que ao se decompor se transforma em húmus, que alimenta a vegetação.

Mas apesar de compor uma das maiores maravilhas do planeta, este bioma sofre com um ritmo acelerado de destruição. Desde a chegada dos portugueses, em 1500 até 1970, o desmatamento não atingia mais que 1%. Mas na época atual já alcançou índices alarmantes -  17% de devastação - área equivalente aos territórios de Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, Espírito Santo e Rio de Janeiro.

O desmatamento, a biopirataria, as queimadas, o agro-pastoreio e a garimpagem representam os maiores problemas suportados pelo bioma. Todas essas práticas de devastação se configuram em cenário de graves mudanças climáticas no planeta Terra em função do aquecimento global, também resultante das agressões impostas pela ação antrópica ao bioma Amazônia.


Referências:
- Geografia do Brasil - Schneeberger, C. A & Farago, L. A.   Ed. Rideel - 1a. edição - 2003
- Geomorfologia - Uma Atualização de Bases e Conceitos   Guerra, A. J. T. & Cunha, S. B. - Ed. Bertrand Brasil - 5a. Edição - 2003

Links:
http://www.imazon.org.br/
http://www.greenpeace.org
http://www.ibflorestas.org.br

Fotos: Vinna Jacob


Campanha Vamos Apoiar a Apoinme

Arquivo do site

Em destaque