sábado, 13 de agosto de 2011

Megaeventos - O legado da copa 2014 e o desenvolvimento das cidades



Aconteceu nesta sexta-feira, 12/08, no Hotel Marina Park em Fortaleza, das 8h às 12h30, o Fórum Nacional – Seminário I - O legado da copa 2014 e o desenvolvimento das cidades. O evento foi uma realização do Instituto da Cidade, com patrocínio do Banco do Nordeste, apoio institucional da Universidade Federal do Ceará, Fundação Maurício Grabois e Fundação Ulisses Guimarães.

Participaram como debatedores:
Ministro dos Esportes - Orlando Silva
Senador da República - Inácio Arruda
Secretário Estadual Especial para a Copa – Ferrúcio Feitosa
Secretário Municipal de Esporte de Fortaleza – Evaldo Lima
Vice-presidente do CREA-CE - Nadja Dutra
Coordenador da mesa – Instituto da Cidade - Eduardo Arraes

Na avaliação do Ministro Orlando Silva, Fortaleza é uma das cidades que possui grandes avanços nas obras da Arena Castelão. Garantiu que há disponibilidade de 400 milhões em recursos para as obras de infra-estrutura do Aeroporto Internacional Pinto Martins e mais 160 milhões para melhorias no porto do Mucuripe. O montante total de investimentos para Fortaleza será de um bilhão e 600 milhões.

O Ministro considera ainda que, a mobilidade urbana necessitará de transporte coletivo de qualidade e que a redução do tempo de deslocamento, permitirá às pessoas disporem de mais tempo para o lazer. Espera que o Mundial não seja apenas constituído por obras, mas que traga um legado urbano e social justo e favorável para as presentes e futuras gerações. Afirmou que a partir de setembro, a Presidenta Dilma Rousseff irá inaugurar a Agenda dos Direitos Sociais e de Cidadania para tratar de vários temas relacionados, como por exemplo, a acessibilidade.

Sobre o Veículo Leve sobre Trilho (VLT) e os corredores ou BRT’s (Bus Rapid Transit), o Ministro acredita que será necessário haver uma boa articulação entre Prefeitura e Estado, para que os projetos possam ser desenvolvidos, mas afirma que mesmo considerando que isso possa trazer ganhos, são temas que geram grandes debates na sociedade e devem merecer especial atenção do Poder Público. Ele cobrou solução do Governo do Estado do Ceará e da Prefeitura Municipal de Fortaleza para que encontrem uma solução que atenda dignamente as comunidades e que os direitos humanos sejam preservados. 





De acordo com Nadja Dutra, vice-presidente do CREA-CE, palestrante do evento, mobilidade está contida no sistema de transportes. A transversalidade do transporte atinge diretamente a qualidade de vida da população, sendo um reflexo do desenvolvimento dessa região. Mas afirma que ainda existem grandes desafios para que este legado seja efetivamente positivo, devendo ser capaz de aperfeiçoar o serviço. E deixa o questionamento: o sistema de transportes será adequado e satisfatório para toda a sociedade?

Nadja Dutra também fez um alerta para o tempo de execução de obras como o TRANSFOR, que já é legado da gestão anterior, e o METROFOR que já se arrasta desde 1985, citando a preocupação com a falta de velocidade no andamento destes empreendimentos. Além destes, a ampliação dos terminais, incluindo o sistema de portos e aeroportos são gigantescos desafios a vencer até 2014, já que as melhorias não estão acontecendo na velocidade com que deveriam. Outro exemplo é o Plano Diretor aprovado a mais de dois anos e que contempla 20 projetos complementares, incluindo a mobilidade, mas que ainda não se fez representar de modo concreto, talvez pelo fato de a sociedade não cobrar os frutos deste Plano. Falta planejamento na cidade, principalmente para longo prazo.

A platéia também participou com críticas e sugestões. Entre as principais temáticas abordadas pelo plenário, destacou-se a cobrança pela transparência na condução dos recursos públicos, e como não poderia deixar de ser, o assunto presidente da CBF foi exposto, mas o Ministro afirmou não ter poderes para intervir neste assunto, já que a entidade é autônoma.

As críticas ao fraco desempenho da Seleção e a falta de perspectiva de que o grupo possa alcançar o tão almejado HEXA, foi um dos destaques, que, de acordo com o Ministro, poderá ser superado, afirmando ainda acreditar no atual comandante da equipe para um resultado satisfatório no Mundial.

Um dos temas mais polêmicos e que tem gerado grandes impasses, também foi tratado, ainda que com pouca discussão no evento, as remoções de comunidades para as obras da Copa. Entre os palestrantes estava a atual presidente da Federação de Bairros e Favelas de Fortaleza, que solicitou ao Ministro uma visita a essas comunidades, para que elas sejam ouvidas e para que o mesmo possa perceber “in locu” o drama e o receio por parte das pessoas passíveis de remoções. O Senador Inácio Arruda, assumiu publicamente um compromisso, irá se empenhar para que não ocorra arbitrariedade nas desapropriações.

A nossa avaliação é que, num País onde o Poder Público, em todas as esferas, passou mais de 500 anos sem se preocupar efetivamente com o planejamento, a ordenação do seu espaço geográfico, que permitiu o uso e ocupação do solo de modo quase sempre irregular, trazendo prejuízos ambientais e em casos gravíssimos, com perda de vidas humanas, agora tenta, com medidas emergenciais, promover sua readequação em curtíssimo espaço temporal, três anos no máximo. Será possível???






Nota:
Em 27 de Outubro de 2011 Orlando Silva foi afastado do cargo de Ministro do Esporte após denúncias de suposto esquema de corrupção. Em seu lugar assumiu a vaga o deputado federal Aldo Rebelo autor do polêmico e nefasto projeto de mudanças no Código Florestal brasileiro.


Campanha Vamos Apoiar a Apoinme

Arquivo do site

Em destaque