terça-feira, 31 de maio de 2011

Biomas Brasileiros - Mata Atlântica


A Mata Atlântica é um bioma presente em grande parte do território brasileiro. As florestas atlânticas são ecossistemas que apresentam árvores com folhas largas e perenes, que podem atingir de 20 a 30 metros de altura. Possuem grande diversidade de epífitas, como orquídeas e bromélias.  Seu clima é subtropical e tropical.


A Mata Atlântica já foi considerada a maior floresta tropical em importância e ocorrência na América do Sul e, especialmente no Brasil, abrangendo também parte do território do Paraguai e da Argentina.

Era encontrada em toda a linha litorânea brasileira, se estendendo do Rio Grande do Sul ao Rio Grande do Norte (regiões Meridionais e Nordeste) chegando até a Argentina e o Paraguai (regiões Sul e Sudeste). As serras e escarpas do Planalto Brasileiro tinham importantes trechos cobertos pela Mata Atlântica que era contínua com a Floresta Amazônica.


Em seguida ao descobrimento do Brasil, grande parte da vegetação atlântica foi destruída devido à exploração intensiva e desordenada da floresta. O principal alvo de extração e exportação dos exploradores que colonizaram a região foi o pau-brasil, que hoje está quase extinto.  Além dele outros tipos de madeiras de valor também foram exploradas até sua quase extinção como: pequi, tapinhoã, canela, sucupira, cajarana, araribá, jacarandá, jenipaparana, urucurana, vinhático e peroba;

Mas o desmatamento foi intensificado a partir do século XX, e hoje, a Mata Atlântica encontra-se reduzidíssima, sendo considerada uma das florestas tropicais mais ameaçadas do planeta. A área de domínio original era  de 1.315.460 km², o equivalente a 15% do território brasileiro, abrangendo total ou parcialmente 17 estados. Atualmente o remanescente da Mata Atlântica é 102.012 km², ou seja, 7,9% de toda área de domínio original (área cuja vegetação clímax era esta formação vegetal). Porém, mesmo estando reduzida a poucos fragmentos, estes quase sempre descontínuos, a biodiversidade de seu ecossistema é uma das maiores do planeta.
     
Na Região Nordeste do Brasil as condições de sobrevivência da população se agravaram em função da extinção total da vegetação, causando muita fome, miséria e o êxodo rural. A situação era tão extrema, que se tornou semelhante às regiões mais pobres do mundo. As plantações de cana-de-açúcar no Sul e Sudeste e a cultura do café foram as principais responsáveis pela derrubada da mata nativa.



A Floresta das Araucárias foi uma das mais devastadas devido ao seu valor comercial do pinho, extraída do Pinheiro-do-Paraná.Além da exploração predatória dos recursos florestais, houve também um significativo comércio de exportação de couros e peles de onças, cobras, lontras, antas, capivaras, jacarés, cotias, jaguatiricas, veados e pacas e outros animais, de penas e plumas e carapaças de tartarugas.
Os ecossistemas do bioma Mata Atlântica foram definidos em 1992 pelo CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente) e são eles: Mangues, Restingas, Floresta Ombrofólia Densa, Floresta Ombrofólia Aberta, Floresta Ombrofólia Mista, Floresta Estacional Decidual e Floresta Estacional Semidecidual.
De acordo com a Fundação SOS Mata Atlântica, o bioma perdeu 311 km² de florestas em dois anos, esta é uma área superior a 30 mil campos de futebol. Os dados constam do Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica, que foi divulgado no dia 26 de maio de 2011, numa parceria entre a Fundação SOS Mata Atlântica e o INPE ( Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).


Foi avaliada a atual situação dos remanescentes da vegetação em 16 estados que fazem parte deste bioma, tendo ficado de fora o Piauí, devido a indefinição das formações florestais deste estado. A análise do Atlas se concentrou nos seguintes estados: Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe e São Paulo.


Entre 2008 e 2010 a maior parte do desmatamento da Mata Atlântica ocorreu no estado de Minas Gerais, com 124 km² de vegetação nativa derrubada. Em seguida aparecem os estados da Bahia (77km²) e Santa Catarina (37 km²,) a menos de florestas no período.

Os dados mostram que houve queda no ritmo de desmate nos últimos anos em todos os estados tendo como comparação os dados do levantamento anterior, no período de 2005 a 2008, com redução de 55% no desmatamento. Mas, de acordo com a diretora de gestão do conhecimento da ONG, Márcia Hirota, é preciso manter os esforços para conservação do bioma, que atualmente só tem 7,9% da área que ocupava originalmente.

O Dia da Mata Atlântica é comemorado em 27 de maio



Fonte:

Geografia do Brasil - Ed. Rideel - Schneeberger e Farago - 2003
Links:
http://www.wwf.org.br/
http://www.sosma.org.br/


Campanha Vamos Apoiar a Apoinme

Arquivo do site

Em destaque