domingo, 28 de abril de 2013

Biomas Brasileiros - Caatinga



Por meio de decreto presidencial, 28 de abril foi instituído o 
 Dia Nacional da Caatinga 

A Caatinga é o único bioma exclusivamente brasileiro. Grande parte do seu patrimônio biológico não pode ser encontrado em nenhum outro lugar do planeta. A palavra tem origem da língua tupi e significa:
caa (mata) + tinga (branca) = Mata Branca

O bioma tem esse nome devido à sua paisagem de cor esbranquiçada apresentada pela vegetação durante o período de estiagem, quando a maioria das plantas perde suas folhas e os troncos tornam-se secos e esbranquiçados. A Caatinga apresenta três estratos:  o arbóreo (8 a 12 m), o arbustivo (2 a 5 m) e o herbáceo (abaixo de 2 m).
                                       
                                     
Sua vegetação, formada por espécies xerófitas, é representada pelas espécies de cactáceas e bromeliáceas (mandacaru, xique-xique, facheiro, pau-ferro, catingueira verdadeira, catingueira rasteira, canafístula, mororó e o juazeiro, por exemplo).  As temperaturas médias anuais são elevadas, oscilando entre 25° C e 29° C. O clima é semi-árido e o solo é raso e extremamente pedregoso.

Ocupa uma área de aproximadamente 844.000 km², cerca de 7% do território nacional. Compreende, de forma contínua, parte dos estados do Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco,  Alagoas,  Sergipe, Bahia (região Nordeste do Brasil) e parte do norte de Minas Gerais (região Sudeste do Brasil).



Dos biomas brasileiros, este é o mais fragilizado. A utilização dos seus recursos naturais e dos seus solos de forma insustentável, ao longo dos últimos séculos da sua ocupação, transformou a Caatinga num ecossistema extremamente degradado. Apesar disso, várias pesquisas comprovam a riqueza da sua biodiversidade e os seus fenômenos bem peculiares. Já foram catalogados nesse bioma 932 espécies de plantas, 143 espécies de mamíferos, 510 espécies de aves e 230 espécies de peixes.


Mesmo sendo classificada como savana estépica, a sua paisagem se apresenta bastante diversa, com distintas regiões.  Essas diferenças se devem basicamente ao relevo, pluviometria, solos e fertilidade. Quando chove, no início do ano, a paisagem muda muito rapidamente. As árvores cobrem-se de folhas e o solo fica forrado de pequenas plantas.



A fauna é composta, além da ararinha-azul (hoje ameaçada de extinção), por vários outros animais como: o gambá, o preá, o veado-catingueiro, o tatu-peba, o sapo-cururu, a asa-branca, a cotia,  e o sagüi-do-nordeste.

A ação do homem já alterou cerca de 80% da cobertura original da Caatinga, que atualmente tem menos de 1% de sua área protegida em 36 unidades de conservação, que não permitem a exploração dos recursos naturais. A maior ameaça é a desertificação, já bem avançada.


É necessário alertar para a urgência de se preservar esse bioma, garantindo também ao mesmo tempo, o sustento da população, hoje em torno de 20 milhões de pessoas, que nele vive e trabalha.


Assine a petição para que a Caatinga e o Cerrado sejam considerados Patrimônio Nacional!




"A Caatinga e o Cerrado não são considerados Patrimônio Nacional pela Constituição Brasileira. O que significa que 1/3 do nosso território e da biodiversidade associada estão esquecidos. O Senado já aprovou o texto da PEC 504/2010, que coloca a Caatinga e o Cerrado no mesmo nível de importância dos demais biomas do Brasil. Agora falta a Câmara dos Deputados votar a PEC 504/10 e aprová-la. Participe do abaixo-assinado!"


Fotos: Aula de campo - Município de Santa Quitéria (CE)
Link do mapa: www.wwf.org.br
*Postagem publicada em 28 de abril de 2011 e atualizada em 27 de abril de 2013



Campanha Vamos Apoiar a Apoinme

Arquivo do site

Em destaque