quarta-feira, 30 de março de 2011

Dominica - Paraíso intocado das Antilhas

Dominica é um dos menores países do planeta. Possui uma superfície de 751 km². Sua população é de 100 mil habitantes. Adota o regime de governo Parlamentarista. A capital é Roseau. Inglês é a língua oficial.

Sua população em grande parte é composta por descendentes de escravos negros trazidos para trabalhar na ilha em meados do século XVII. Os franceses colonizaram a ilha por um curto espaço de tempo, mas o suficiente para exercer até os dias atuais, grande influência na cultura dominique, que se representa pela religião católica – seguida por quase 80% da população – e pela língua (o crioulo) mistura de francês com dialetos  africanos.


Situa-se em uma ilha de origem vulcânica do arquipélago das Pequenas Antilhas, no mar do Caribe. Sua área é bastante montanhosa e mais de duzentos rios correm em seus vales de muitas cachoeiras. A linha costeira escarpada parece repelir a exploração turística.
                                                     
O cultivo da banana é responsável por 75% da produção agrícola do país. Até meados da década de 90, o Reino Unido era o destino de toda a safra, mas com a entrada em vigor de tratados comerciais da União Européia, Dominica perdeu espaço para a concorrência de outros países da América Central. Para complicar ainda mais a situação, nos últimos anos as plantações foram devastadas por muitos furacões.

Praias de areia branca e fina como existem no Brasil, dificilmente se avista em Dominica. Em algumas praias o mar avança calmamente sobre as raízes das palmeiras. As extensas florestas tropicais, abrigo para espécies raras de aves, como a amazona-imperial (Amazonas imperialis), são o que de mais valioso se encontra neste minúsculo país.

Por trás das montanhas escarpadas revestidas pela densa floresta tropical, existem muitos lagos quase misteriosos. Felizmente inexistem entre as belezas naturais, pólos de turismo popular, complexos hoteleiros luxuosos ou butiques famosas. Até mesmo as malas-postais frequentemente são aterrissadas por engano na República Dominicana. E foi essa ilha de paisagens intocadas que serviu de cenário para o filme Piratas do Caribe.

                                    
Em Dominica os moradores sempre têm histórias para contar sobre o elenco de Hollywood, que, há alguns anos desembarcou na ilha para filmar as partes dois e três de Piratas do Caribe. No Rio Indian eles construíram a casa-da-árvore da vidente “Tia Dalma”. Ao Sul, perto de High Meadow, surgiu uma ponte pênsil, indo do cume de uma montanha a outro, além de um vilarejo de canibais.

Dizem da beleza exuberante de Keira Knightley, enquanto Jonh Depp, o excêntrico capitão Jack Sparrow, de movimentos desajeitados e voz afetada, mesmo estando fora do set de filmagens permanecia completamente imerso em seu papel.

Durante estes meses de filmagens o pequeno estado caribenho saiu de sua letargia, numa época de muitas oportunidades de trabalho, especialmente para construtores de palco, figurantes e motoristas. A pequena rede de hotéis, bem como os restaurantes, permaneciam sempre lotados.

A equipe de filmagens promovia grandes festas na capital, Roseau, e nas horas de folga, os astros fretavam iates para mergulhar ou observar as baleias. Mas tão logo Hollywood partiu, Dominica retornou à sua velha e boa rotina. 

Um verdadeiro paraíso que permanece protegido e livre da degradação, que toma conta dos lugares mais lindos do nosso Planeta. Um lugar intocado e encantado que Cristóvão Colombo, que a descobriu em 1493, certamente ainda a reconheceria se lá voltasse.

Fontes do texto:
*Geografia Geral - Teoria e Prática - Schneeberger e Farago -   Editora Rideel - 2003
*Revista GEO - Joanes Strempel - Págs 67 à 79 -  Edição 04

Links das imagens: 
http://www.guiageo-caribe.com/mapas/mapa/dominica.jpg
http://2.bp.blogspot.com/-tdlJ18WLn_Y/TZKfmVZsdsI/s/aQLeXULikos/s1600/Jack.jpg


Campanha Vamos Apoiar a Apoinme

Arquivo do site

Em destaque