sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

Indígena da TI Uirapuru é sequestrado e torturado em São Carlos; ele precisou amputar um braço e seu estado é grave



Mais um ataque brutal contra indígenas no Brasil. Desta vez a vítima, que se encontra internado em estado grave, é um indígena de 39 anos, da Terra Indígena Uirapuru, do município de Cáceres, no estado de Mato Grosso.


Foto: Reprodução / Facebook


Segundo relatos postados nas redes sociais, o indígena de 39 anos, que trabalha como soldador e é morador há 27 anos na cidade de São Carlos, no interior de São Paulo, foi torturado no dia 18 de janeiro de 2019. Quase um mês após o ocorrido, nenhuma providência teria sido tomada no sentido de dar segurança à vítima e aos familiares, que continuam sofrendo ameaças - afirmam as denúncias publicadas nas redes - e que, ainda, as autoridades não estariam dando uma resposta para elucidar o caso e punir quem cometeu o crime tão brutal.

Um dos relatos publicados afirma que “a sua pequena oficina foi invadida por três homens, que além de roubarem seu maquinário e ferramentas”, de acordo com a grave denúncia, o indígena teria sido encapuzado e sequestrado para, em seguida, ser barbaramente torturado. "Os criminosos diziam que agora o presidente autorizou matar indígenas”, queixa-se um internauta.

As fotos que circulam nas redes sociais mostram a gravidade das lesões sofridas pelo indígena. Uma das publicações acompanhadas das fotos diz que “o indígena foi espancado, levou marteladas na cabeça e no corpo todo, foi mordido no rosto, no braço e na mão a ponto de arrancar pedaço, e fecharam por várias vezes a porta do carro em seu braço, este que precisou ser amputado”, afirma a publicação. “A intenção era de matá-lo, porém o relato de parente do indígena é de que ele se fingiu de morto e assim foi jogado no buracão do Zavaglia”, acrescenta a informação postada no Facebook.


Foto: Reprodução / Facebook


As pessoas que compartilham as notícias deste crime de tortura, crime de ódio, pedem apoio às autoridades e à sociedade para que se tomem as medidas judiciais e protetivas cabíveis.

“Após quase um mês do ocorrido, ele continua internado na Santa Casa, ainda está em risco de vida, porém o Boletim de Ocorrência não foi liberado. Estamos iniciando agora o contato com o Ministério Público do Estado de São Paulo e estamos em busca de orientações e ajudas judiciais”, diz uma publicação. “Ajudem-nos a compartilhar esta denúncia para que ela atinja o máximo de consciências possível e para que a mídia e os órgãos públicos responsáveis cumpram o seu dever de investigação, punição e proteção”, conclamam.


Atualização:

Matéria publicada pelo jornal Estadão informa que o indígena pertence a etnia Paresí, da Terra Indígena Uirapuru, em Cáceres (MT).
Leia na íntegra: 
Índio da etnia pareci sofre tortura e perde braço no interior de SP



#SangueIndígenaNenhumaGotaAMais
#BastaDeGenocídio

Compartilhar